quinta-feira, 21 de abril de 2011

Inverno 2011: dez anos de slim fit, street style e homem conceito

Em 2011, faz dez anos que Hedi Slimane firmou uma nova silhueta para a moda masculina. A frente da maison Dior Homme, Slimane criou ecos, que podem ser notados até hoje, no guarda-roupa do homem moderno.

dior-homme-hedi-slimane
Hedi Slimane: criador e criatura

Na virada da década, dos anos 2000 para os anos 2010, existe um movimento que olha para o clássico. O garoto que se inspirava na electro scene de Berlim, com ares de androginia, cresceu, e agora nem só de preto e jaquetinha de couro sobrevive sua moda. E é essa geração a maior formadora de opinião, atualmente entre os homens, quando o assunto é estilo, que grandes marcas de fast fashion, bem como H&M, Zara, TopMan, Mango está se utilizando para lançar novas coleções. Os blogs de street style funcionam como verdadeiros Big Brothers. É um filtro dessa sociedade e denuncia a forma como ela leva para as ruas seus anseios e o que realmente faz sentido para eles, desde o shape até os acessórios.



As ruas ganham importância e inspiram os editoriais de revistas


A jaqueta de couro é um dos itens-chave do guarda-roupa do homem! 

E nesse ostracismo fashion que a moda vive muitas vezes, ávida por uma grande novidade que nem sempre vem, esses blogs funcionam como verdadeiros lemes, onde é possível direcionar o futuro das coleções. 

A crise de 2008 na economia americana foi responsável, conforme observou, num artigo (em inglês) em 2009 o jornal The Guardian, pela reintrodução da cor no guarda-roupa clássico: no lugar do preto e do cinza, vermelho, laranja e azul. 

Nota-se que esse guarda roupa clássico varia muito pouco, considerando que a moda masculina, querendo ou não, é algo muito mais limitado perto da efemeridade da feminina. Então, sobra aos criadores menos espaço para desenvolvimento de ideias. É sempre uma mudança de cor, texturas, tecidos e acessórios. Uma hora é um botão que aumenta, outra hora é um a menos que define a estação.

O que vestir no inverno 2011?

Antes de sairmos às compras, vale à pena atentar-se ao enredo da moda masculina. Este é um inverno onde vimos nas passarelas uma rapsódia da coleção de verão, houve uma sobreposição ali e outra acolá, diminui-se um tom na cor, jogou um preto onde não existia e uma cor no marasmo. A essência dessa estação é focar nos detalhes. 

Poucas peças, porém com muita qualidade, esse é o homem elegante em 2011, e que promete se repetir na próxima década. Vivemos um sincretismo fashion que permite tudo. Posto isso, nota-se que a atitude começa a ser mais valorizada, e isso é um norte, que catalisa muito mais a elegância para si, do que propriamente o que você veste. 

O símbolo de elegância para o homem estará mais atrelado a atitude, a definição de estilo pessoal, do que necessariamente estar coordenado com a semana de moda e suas tendências. Estamos vivendo uma nova configuração desses mitos. O homem conceito, que forma opiniões varia de uma classe para outra. E está mais atrelado aos valores que cada grupo busca do que a condição em si de ser/estar elegante.



Lookbook Valentino Verão 2011: moda atemporal para o homem.

Fotos: reprodução / The Fashionisto.
Fonte: HomemModerno

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...